twitter




 Porque que demoramos tanto para descobrir o que está na nossa cara? Que na verdade sempre esteve, mas as vendas da seriedade, da sanidade, e do racional não nos deixaram enxergar. Não amar, e não se apaixonar são duas coisas completamente impossíveis, até os mais frios e as piores pessoas que já existiram na humanidade já amaram, nem que o ser amado tenha sido um objeto, uma ideologia, a si mesmo. A gente tenta, consegue fingir frieza por algum tempo, consegue esconder, dá uma de coração de pedra, mas chega uma hora que não dá mais, fingir, torna-se um feito inalcançável.

 É incrível essa sensação que se tem quando você está gostando de alguém, você se sente capaz de fazer a pessoa mais feliz, se sente mais feliz, tudo fica tão mais bonito, tão mais alegre. Eu queria que alguém me roubasse. Me fizesse refém de um amor que não seja tão batalhado, tão suado, tão ardido. Alguém que me impusesse uma felicidade já pronta dentro de uma latinha de coca-light. Mas a vida não é assim! Nem o amor. Não somos peças de quebra-cabeças com encaixes prontos. Nosso encaixes são moldados com nossa experiência, com a nossa vontade de doar e ser retribuído, com o "abrir mão" das coisas menores em prol de algo muito maior. Porque o amor construído é mais amor, tem mais valor, tem mais vida. E, no fundo, eu quero a guerra contra meu ego, contra meus demômios, contra essa montanha escorregadia que tenho que escalar todos os dias para que, no fim da batalha, eu possa alcançar a vista mais bonita porque eu sei que assim a gente cresce também e outro cresce junto.
 O legal, é que eu tento, tento descrever isso, mas, ainda não consegui fazer nenhum texto que prestasse sobre isso. E a unica conclusão que eu tiro, é que o amor, é indescritível, a paixão também. É impossível descrever sentimentos e sensações, cada um sente de um jeito, não é?! Tem gente que acha que se apaixonar é sofrer, eu acho que você só sofre, se fizer da paixão seu único foco, o equilíbrio é o ideal, nessa e em todas as situações da vida (a, se eu seguisse todos os conselhos que escrevo, minha vida estaria muito melhor) .
 Na verdade, eu sou completamente desequilibrada, ou eu amo demais ou não amo nada, ou eu estudo demais ou não estudo nada. Mas eu consigo ser feliz e me livrar de alguns sofrimentos. Por tanto se você não conseguir equilibrar o sentimento, não se preocupe, vai dar tudo certo, para mim sempre deu, tem que dar pra vocês também. 
 Enfim, não há mais nada que eu possa dizer sobre isso. Esse texto está horrível, pensei em deixar nos rascunhos, mas achei justo dividir com vocês.



*
2011 me renovou, sei que isso tudo de passagem de ano é simbólico, mas quando aqueles 10 segundos se passaram eu me enchi de esperança e vontade de fazer tudo completamente diferente, ano passado não foi dos melhores anos, eu sei que é tudo besteira, mas eu prefiro os anos impares, 2006, 2008 e 2010 foram os piores anos da minha vida, eu tive traumas irreparáveis, mas 2011 me trouxe uma alegria e um bom humor irretocáveis, que espero, manter daqui pra frente. Mas eu estive pensando, 2010 me serviu pra muita coisa, principalmente pra tirar todas as coisas e pessoas que não tinha mais vontade de ver, ouvir, conviver e aturar, por outro ele me levou pessoas muito importantes. Assim que ele foi embora, pessoas se curaram e o sorriso voltou ao meu rosto. E vou contar um segredo pra vocês, comecei o ano fazendo o que deveria ter feito há bastante tempo, me desligando de tudo que não me fez bem durante o ano passado. Enfim, vocês vão ler textos de outra Marina daqui pra frente, uma Marina muito feliz, bem humorada e MUITO, MAS, MUITO mais otimista do que antes. Bem, eu queria dizer que realmente não sei sobre o que escrever, por tanto aí vai um texto antigo, espero que tenham gostado.


**
"Que é que eu vou fazer pra te esquecer? Sempre que já nem me lembro, lembras pra mim.
Cada sonho teu me abraça ao acordar, como um anjo lindo, mais leve que o ar, tão doce de olhar, que nenhum adeus pode apagar..."

Pra te lembrar- Caetano. Não consigo parar de ouvir.

3 comentários:

  1. Que bom, Marina. Tenho certeza que essa nova "você" vai continuar nos encantando com seus relatos.

  1. Ai mari, me descuuuuuuuuuulpa, mas chega tô com inveja da nova mari ,0,
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Um beijo enorme.

  1. hmm... mais um texto com o qual me identifico, ah, nós, as do tudo ou nada, 8 ou 80, ou sim ou não, ainda tentando entender que na vida há meio termos, quase acontecimentos, possibilidades infinitas.... sobre o amor, a paixão, que dizer? são sentimentos, palavras, ideologias, ou o que afinal? dúvidas, eternas dúvidas...
    que essa nova mari continue a trazer textos deliciosos como esse!

Postar um comentário